Prefeitura marechal
busque por título

Blog da Dra Jucilene Carvalho

30/10/2017 às 13:28

CUIDADO COM O QUE POSTA NAS REDES SOCIAIS.

 
Alguns cuidados podem contribuir bastante para a sua segurança pessoal, como evitar lugares mal iluminados ou ficar atento/a nos momentos de entrar ou sair do carro. Mas essa cautela deve se estender também a ambientes virtuais, você sabia? É importante ter critério ao publicar fotos, vídeos e informações privadas em redes sociais. Infelizmente, esse material pode revelar muito do seu cotidiano e ser usado por gente com péssimas intenções.

Então fique atento antes de postar, veja algumas dicas:

 Use opções de privacidade para deixar seu perfil mais restrito;
 Seja seletivo ao adicionar contatos;
 Não divulgue planos de viagens ou quanto tempo ficará fora de casa;
 Em viagens, evite fazer check-in quando chegar ao destino;
 Seja cuidadoso ao divulgar fotos e vídeos,especialmente as que tenham informações sobre lugares, hábitos e estilo de vida.


Antes de clicar em “publicar”, é bom pensar bem nas consequências do que está postando na internet. A internet não é um mundo isolado e tudo o que você posta quem ver não são apenas seus amigos, mas os inimigos também. Portanto, muito cuidado, pois tudo o que for dito ou mostrado nas redes sociais pode ser usado a seu favor ou contra você.

Até uma foto sorrindo numa cachoeira, com a legenda “Não estou me aguentando de tanta felicidade”, pode se transformar num indício de fraude, se a autora está brigando na Justiça para conseguir auxílio-doença do INSS por depressão. O caso aconteceu em Ribeirão Preto, no interior de São Paulo. E, segundo a Advocacia Geral da União (AGU), que representa o INSS em processos, com base em postagens como essa, o perito judicial reviu o laudo médico emitido anteriormente. Na sentença do juiz, o benefício foi cancelado a partir da data da primeira publicação “feliz” da segurada.

Apesar de defender que as postagens em redes sociais jamais poderiam servir de base para um diagnóstico de depressão, a psiquiatra Magda Vaissman alerta para as consequências do excesso de exposição na internet:

Para a AGU, as fotos no Facebook eram provas de “que o estado de saúde da segurada não coincidia com os sintomas de portadores de depressão grave”, e serviram para evitar “o pagamento de benefício indevido”.

Outro caso bem semelhante aconteceu no Estado do Mato Grosso, onde uma mulher contratou os serviços de uma diarista e não pagou nesse caso as Publicações da mulher que contratou os serviços da diarista foram utilizadas para demonstrar que ela tinha boas condições de vida e que deveria pagar as quantias devidas.

A magistrada que julgou o caso citou algumas fotos nas quais a patroa aparece com mega hair, procedimento cujo valor de mercado é bem mais alto que as faxinas.

Considerou ainda registros nos quais a contratante aparece comemorando o próprio aniversário e considerou uma ostentação.

A cada curtida, cérebro libera dopamina

A necessidade de postar sobre momentos felizes e até hábitos cotidianos nas redes sociais vem sendo analisada por pesquisadores do mundo todo. Segundo a psicanalista Priscila Gasparini Fernandes, um estudo realizado na Inglaterra revelou que, a cada curtida no Facebook, o cérebro do autor da postagem libera neurotransmissores responsáveis pela sensação de prazer e bem-estar.

Essas pessoas têm a necessidade de serem admiradas entre os seus pares. Isso é muito prazeroso para elas. Mas o que se vê nas redes sociais é um mundo ideal. Nem sempre é real — disse Priscila, ressaltando que um quadro de depressão não pode ser avaliado por meio de fotos e postagens de Facebook, como ocorreu em Ribeirão Preto.

O excesso de exposição, no entanto, pode dizer, sim, sobre a necessidade de aprovação e de afirmação de que tudo está bem. E tudo isso pode ser usado a favor ou contra a pessoa.

Outro cuidado que se deve ter é com o que você curte, comenta e compartilha de terceiros, pois você pode responder civil, administrativa e até penalmente.

Fonte: CNJ/ jornal extra.


 

Deixe seu comentário

2 comentários

  • Enviado em 18/11/2017

    Por Evelyn lima

    Parabéns Dra.essa informação é muito importante pra gente.

  • Enviado em 09/11/2017

    Por Alex

    Muito boa essa informação, parabéns a Dra. Por fazer este alerta.