Prefeitura marechal
busque por título

Alagoas

Al24hs

18/10/2018 às 19:28

“Está bem, mas chorando muito”, diz pai de adolescente que estava desaparecida

Polícia investiga quem é a pessoa que estava mantendo a adolescente em cárcere privado. 

(Créditos de imagem: Reprodução)

Já está em casa, em segurança, a adolescente Gisele dos Santos Duarte, de 14 anos, que estava desaparecida desde terça-feira, quando saiu de casa para comprar doces, próximo à sua residência, no Conjunto José da Silva Peixoto, no Jacintinho. O pai da menina confirmou que ela chegou em casa sozinha, sem nenhum machucado, no entanto, chorando muito. Gerdiael dos Santos disse também que a família está aliviada e agradecida pela divulgação do caso. Eles aguardam que a adolescente se acalme para saber onde ela esteve durante esse período em que esteve desaparecida.

Apesar de ter chegado em casa sozinha a promotora que acompanhava o caso desde o início, Marluce Falcão,

disse que ela esteve em cárcere privado e que o responsável somente a entregou por causa da repercussão do caso. A Polícia, no entanto, já sabe de quem se trata e deverá responsabilizar esta pessoa, já que cometeu um crime contra uma menor incapaz.

“Graças aos esforços de todos que compõem a rede de proteção do PLID Alagoas e o empenho incansável da Polícia Civil, através do delegado Fabrício, que desde que tomou conhecimento empreendeu diligências, junto com a família, indo a todos os locais referenciados pelas testemunhas, até que chegou a identificação de um local, oportunidade em que lá a pessoa que estava com a menor resolveu entregá-la a família. A polícia, agora, estará instaurando inquérito policial para investigar as circunstâncias em que se deu esse desaparecimento e exatamente quem é essa pessoa para que possa ser identificada e explique a situação em que manteve, por uns dias, a menor em sua companhia. Isso, pelo código penal e Estatuto da Criança e Adolescente é um crime”, diz a promotora.

Após o trabalho inicial do delegado Fabrício Nascimento, responsável pelo Núcleo de Inteligência da Delegacia Geral da Polícia Civil (NI), as investigações voltam a ficar concentradas na Delegacia dos Crimes Contra crianças e Adolescentes, que tem como titular a delegada Adriana Gusmão.

Entenda

Gisele sofre de um transtorno conhecido como Síndrome de Borderline, caracterizada pelas mudanças súbitas de humor. Geralmente, as pessoas com Síndrome de Borderline têm momentos em que estão estáveis, que alternam com surtos psicóticos, manifestando comportamentos descontrolados. Esses sintomas começam a se manifestar na adolescência e se tornam mais frequentes no início da vida adulta. 

Deixe seu comentário

0 comentários