Prefeitura marechal
busque por título

Alagoas

Empreendedores no Pinheiro — ASCOM

06/05/2022 às 07:45

Seminário do CAU discute o crime socioambiental da Braskem em Maceió

O evento contará com a participação do presidente da Associação dos Empreendedores no Pinheiro e Região Afetada para debater sobre o contexto atual das vítimas da maior tragédia urbana em curso no mundo
 

(Créditos de imagem: Divulgação)

Na próxima terça-feira (10), a Associação dos Empreendedores no Pinheiro e Região Afetada marcará presença no seminário “Arquitetura e Urbanismo como vetor de Reavivamento Espacial”, que acontecerá no auditório do Norcon Empresarial, localizado na avenida Comendador Gustavo Paiva, no bairro de Mangabeiras. O presidente da Associação, Alexandre Sampaio, participa do encontro promovido pelo Conselho de Arquitetura e Urbanismo de Alagoas (CAU) para discutir a maior tragédia urbana em curso no mundo, que é o crime socioambiental da Braskem em Maceió. A entrada é gratuita e basta fazer a inscrição através do link.

O evento promovido pelo CAU vai debater o impacto de catástrofes socioambientais no ambiente urbano, em toda a sua diversidade e abrangência, analisando o papel do arquiteto e urbanista nessas situações. A programação será dividida em três blocos, das 8h às 18h, com mesas temáticas e diversos convidados que discutirão políticas habitacionais e políticas de ocupação e uso da cidade, em especial, aquelas que os maceioenses e municípios vizinhos vivem atualmente.

“É a primeira vez que um conselho aprova numa plenária nacional a discussão de um tema tão urgente e relevante. Isso, por si só, já é um ato histórico”, afirma Alexandre Sampaio. “Diante do contexto que este seminário está inserido, que atinge parte do território da cidade de Maceió, é de fundamental importância a participação de todos os cidadãos maceioenses, dos nossos associados e demais vítimas”, conclui.

Empresário, jornalista e corretor de imóveis, Sampaio é uma das milhares de vítimas do crime socioambiental e uma das poucas lideranças de movimentos sociais que persistem na luta política travada contra a multinacional em Alagoas. Hoje, à frente da Associação e membro do Movimento Unificado das Vítimas da Braskem (o MUVB), Alexandre Sampaio, junto a moradores e empreendedores aliados, enfrenta o descaso absoluto dos poderes e entes públicos e a política massacrante da mineradora. 

Deixe seu comentário

0 comentários