busque por título

Brasil/Mundo

G1

29/07/2020 às 07:48

Estudante picado por naja é preso no DF por suspeita de crime ambiental

Pedro Krambeck, de 22 anos, seria integrante de esquema criminoso de tráfico de animais. Segundo Polícia Civil, há indícios de que ele também estaria tentando atrapalhar investigação. 

(Créditos de imagem: Arquivo Pessoal)

O estudante de veterinária Pedro Henrique Krambeck, picado por uma cobra naja no dia 7 de julho, foi preso pela Polícia Civil do Distrito Federal na manhã desta quarta-feira (29). O jovem, de 22 anos, é suspeito de crime ambiental e de tentar atrapalhar as investigações. O G1 tenta contato com a defesa.

A prisão é temporária, ou seja, tem validade de cinco dias e pode ser prorrogada por igual período. A medida faz parte da quarta fase da Operação Snake, que investiga esquema de tráfico de animais. No dia 22 de julho, o amigo de Pedro, Gabriel Ribeiro de Moura, de 24 anos, também foi detido por suposta tentativa de ocultar provas de crimes , sendo apontado como o responsável por esconder serpentes do colega.

De acordo com as investigações, Pedro criava a naja em casa e teria ainda a posse de, pelo menos, outras 16 cobras exóticas, sem autorização do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). O jovem, que chegou a ficar em coma, recebeu alta no dia 13 de julho, mas apresentou um atestado médico e só prestaria depoimento em agosto.

Pedro foi detido na própria residência, no Guará, por equipe da 14ª Delegacia de Polícia (Gama), responsável pelas investigações. A Polícia Civil afirma que um perito médico-legista acompanhou o cumprimento do mandado de prisão para verificar as condições de saúde do jovem.

O jovem já foi multado pelo Ibama em R$ 2 mil, por criar a naja sem autorização. Desde o início das investigações, os familiares de Pedro não comentaram o caso. 

Deixe seu comentário

0 comentários