busque por título

Marechal

al24hs

07/02/2020 às 07:29

Reclamações contra Equatorial chegam à Câmara Federal: ninguém aguenta mais'

 

(Créditos de imagem: Divulgação )

As queixas contra a Equatorial Energia Alagoas continuam em destaque, não apenas nas redes sociais, mas também gerando reclamações formais no Procon e na Defensoria Pública do Estado. O consumidor alagoano está questionando não apenas a revisão de faturas em casos de discordância, mas também os cortes de energia, sem aviso e algumas vezes irregulares.

Em um vídeo divulgado nas redes sociais, um cidadão morador da Massagueira, em Marechal Deodoro, conta o caso de uma família que está desde o dia 21 de janeiro sem energia graças ao corte irregular. A proprietária do imóvel ressalta que no dia em que a energia foi cortada ela não tinha encontrado a fatura paga, mas assim que encontrou em contato para religação e ainda não tinha conseguido.






Em pronunciamento na Câmara Federal, o deputado Marx Beltrão fez duras críticas aos serviços prestados à população alagoana, pela Equatorial disse que formalizou queixa contra a concessionária junto à Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) e que pretende levar a reclamação ao Ministério Público Federal (MPF), inclusive, questionando a Medida Provisória que autorizou a privatização do serviço.

“Em menos de um ano a Equatorial conseguiu bater todos os recordes de reclamações. Conseguiu desagradar a classe mais pobre, a classe média, a classe rica e os investidores. Alagoas pede socorro para que a empresa Equatorial faça sua obrigação, que é prestar o serviço de qualidade”, disse o deputado federal.

O deputado também lembrou que a Aneel está convocando a sociedade para uma audiência público, em março deste ano, para discutir o aumento de 12% na taxa de energia elétrica no Estado.

Visita da Defensoria Pública

Por causa das reclamações, o coordenador do Núcleo de Direitos Coletivos, o defensor público Fabrício Leão Souto, visitou nesta quarta-feira, 5, a sede da empresa. Sobre o corte de energia por débitos antigos, o defensor público recomendou o desenvolvimento de campanha educativa, visando municiar o consumidor com informações acessíveis e claras sobre os seus direitos, esclarecendo sobre prazos, avisos, cuidados orientações no conteúdo da fatura, até para que também fiscalizem as condutas das equipes da própria Equatorial quando estiverem em campo, antes de realizarem o corte da energia, que é um serviço essencial.

Na ocasião, a Equatorial colocou à disposição do consumidor canais diretos via telefone pelo 0800 082 0196 e atendimento presencial individualizado em seus postos de atendimento nos 102 municípios alagoanos, cujos endereços podem ser localizados no site da empresa (http://www.equatorialalagoas.com.br/index.php/agencias-de-atendimento/).

 

Deixe seu comentário

1 comentários

  • Enviado em 08/02/2020

    Por Gilvan Araujo

    Equatorial estar ruim péssima em todas as regiões a onde ela atua. E infelizmente o órgão que era pra ser fiscalizador a Aneel não estar servindo absolutamente para nada É bom mesmo o ministério público federal rever a concessão e fazer mudanças rígidas para com atendimento à populacao. E o sro presidente Bolsonaro reveja a conduta da Aneel, mudança na diretoria e nas leis em favor de uma fiscalização mais justa em favor favor da população. Ou seja fazer com que a Aneel deixe de puxar o saco dos lobistas das concessionárias