Prefeitura marechal
busque por título

Polícia

gazetaweb

15/04/2018 às 06:40

População fecha acesso a Coqueiro Seco por demora em coleta de corpo pelo IML

Médicos legistas e peritos criminais trabalham com equipe reduzida em protesto por reajuste salarial 

(Créditos de imagem: Divulgação)

m protesto de moradores de Santa Luzia do Norte bloqueia o trânsito da pista que dá acesso ao município de Coqueiro Seco, no início da noite deste sábado (14). A manifestação começou por causa da demora do Instituto Médico Legal (IML) em resgatar o corpo de uma vítima de homicídio, que, segundo os familiares, 'se encontra no meio do mato a quase 24 horas'.

"Ligamos para o IML várias vezes e a justificativa é que eles estão com apenas uma viatura para atender os chamados", conta Aldir Correia, primo da vítima identificada como Mibson Carlos Correia dos Passos, de 20 anos. 

Os moradores e familiares fecharam a pista de acesso a Coqueiro Seco ateando fogo em troncos e galhos de árvores. Em nota, o Sindicato dos Peritos Oficiais de Alagoas (Sinpoal) e a Associação dos Médicos Legistas de Alagoas (AMLEAL) informam mais cedo que, sem avanços junto ao governo do Estado, a categoria (peritos criminais, médicos legistas e peritos odontolegistas) decidiu paralisar por 24 horas todo e qualquer tipo de atividade, a partir das 22h30 de sexta-feira.(13), mantendo apenas os 30%.

Assim, durante esse período, os atendimentos dos chamados para locais de crime ocorrerão um a um. Ou seja, havendo dois homicídios, sai uma equipe para o procedimento e a segunda, para a outra ocorrência, somente com o retorno da primeira. Ficarão suspensos os exames de corpo de delito e também será reduzido o serviço de necropsia no Instituto Médico Legal (Maceió e Arapiraca).

"Os profissionais sentem pela possibilidade de deixar sem atendimento famílias alagoanas, mas entendem ser necessário chamar a atençao para o descaso e desvalorização da categoria", diz a nota.

 

Deixe seu comentário

0 comentários