Prefeitura marechal
busque por título

Operação Saúde

agencia alagoas

22/12/2018 às 06:37

Samu alerta sobre cuidados para evitar afogamentos durante o verão

Até o mês de novembro, serviço atendeu 44 vítimas de afogamento em todo o Estado 
Samu Aeromédico é acionado para salvar vítimas de afogamento

(Créditos de imagem: Carla Cleto) Samu Aeromédico é acionado para salvar vítimas de afogamento

Com a chegada do verão, nesta sexta-feira (21), e o consequente aumento da temperatura, alagoanos e turistas deverão frequentar ainda mais as belas praias, lagoas e rios de Alagoas. É neste período que historicamente aumentao número de casos de afogamento, segundo o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), alerta sobre os cuidados que devem ser adotados antes de se refrescar nas águas verdes e azuis do “Caribe brasileiro”.


De acordo com a enfermeira do Samu Alagoas, Michele Galindo é necessário verificar os perigos que esses locais podem trazer. “Todos os banhistas devem redobrar os cuidados quando estiverem próximos da água, com o intuito de evitar o afogamento. Mas a atenção deve ser redobrada, principalmente, quando estiverem acompanhados de crianças, cuja vigilância deve ser constante”, recomenda.


E o alerta de Michele Galindo tem fundamento, uma vez que, no período de janeiro a novembro deste ano, o Samu Alagoas fez o atendimento a 44 vítimas de afogamento, além de terem sido registrados 200 óbitos por esse mesmo tipo de acidente, segundo o Corpo de Bombeiros Militar de Alagoas (CBM/AL). “Por isso, a principal orientação é respeitar a sinalização e conhecer os locais próprios para o banho. Quando estiverem com crianças, é indicado ficar próximo aos postos com guarda vida”, salienta.

Em relação à ingestão de bebidas alcoólicas, o aconselhável, segundo a enfermeira do Samu Alagoas, é não entrar na água, porque existe a diminuição dos reflexos. “A pessoa tende a entrar na água sem precaução, o que pode levar ao afogamento. O consumo de bebidas alcoólicas também diminui a atenção quanto ao cuidado com as crianças, pois um momento de distração e descuido pode ser fatal”, pontuou Michelle Galindo.


A enfermeira ainda orienta que as pessoas, ao avistarem um banhista se afogando, devem acionar os números 192 ou 193, que possuem equipes capacitadas para esse tipo de salvamento. “Quem não tiver o conhecimento e o treinamento para fazer esse tipo de resgate, não deve entrar na água, porque essa pessoa pode se tornar uma segunda vítima. O ideal é chamar os guarda vidas e esperar os profissionais do Samu e dos Bombeiros chegarem ao local”, explica.


Segunda chance


Graças ao trabalho em conjunto do Samu e do Corpo de Bombeiros, Moisés Batista, 46 anos, está vivo, após ter se afogado e passado três dias em coma no Hospital Geral do Estado (HGE). O acidente aconteceu no feriado do Dia de Finados, quando a vítima, que é natural de Uberaba (MG), estava com a esposa e a família na praia de Pajuçara.


“Moro em Maceió tem uns 15 anos e essa sempre era a minha rotina quando ia à praia: tomar uma água de coco, dar um mergulho, voltar para a areia e tomar uma cervejinha, porque depois que começo a beber, não volto mais para o mar”, salienta.


No entanto, segundo recorda Moisés Batista, no dia do incidente, a água estava agitada. “Quando entrei na água, senti algo tocar na minha cabeça e no meu pé; acredito que foi algum tipo de água-viva, por causa da queimadura que ficou no local. Depois disso, tomei alguns caldos e não lembro mais de nada, somente acordando no HGE”, conta Moisés Batista.

A esposa de Moisés, Ariene Batista, contou que, por coincidência, uma equipe do Corpo de Bombeiros estava treinando na região e passou no momento do afogamento. Ela e o neto chamaram os guarda vidas, que entraram no mar e tiraram Moisés da água. Enquanto isso, o Samu foi acionado para fazer os procedimentos necessários.


De acordo com o médico Carlos Adriano, socorrista do Samu Maceió, quando os socorristas chegaram ao local, a equipe do Corpo de Bombeiros tinha conseguido reanimar a vítima, que estava em parada cardiorrespiratória. “Os guardas vidas nos passaram a situação do paciente, que apresentava um quadro grave de insuficiência respiratória. Por ele estar inconsciente e pelos demais fatores, decidi fazer a intubação. Nesse momento, saiu muita água dos pulmões e o paciente seguiu em ventilação mecânica até o HGE”, recorda.


Para Moisés, ele só está vivo e sem nenhum tipo de sequela graças ao trabalho em conjunto entre a equipe do Corpo de Bombeiros e Samu. “Agradeço muito a essas duas instituições que salvaram a minha vida. Os médicos do HGE me falaram que sofri um afogamento grau seis, o mais grave de todos. Se tivessem demorado mais um minuto para me tirarem da água, não estaria vivo”, diz.


Cuidados nas ocorrências


Quando é necessário um atendimento na praia, o Samu Aeromédico faz o pouso na areia e, por isso, a população deve saber como se aproximar da aeronave, para não trazer riscos a equipe de resgate e para quem estiver por perto no momento. De acordo com Michele Galindo, que também é enfermeira do Samu Aeromédico, quando o helicóptero pousa, a população deve ficar no mínimo a 50 metros de distância.


“Essa margem de segurança deve ser respeitada, pois, com as hélices ligadas, a aeronave oferece um grande risco para as pessoas leigas, principalmente, na hora do pouso, porque nesse momento vai levantar muita areia, pedras pequenas, guarda-sol, e todo e qualquer objeto leve que estiver por perto. Isso pode vir a machucar as pessoas, até mesmo causando uma cegueira momentânea, se bater areia nos olhos”, ressalta a enfermeira do Samu.


Michele Galindo ainda faz um alerta sobre as pipas, que podem trazer graves riscos à tripulação das aeronaves. “A linha das pipas pode enroscar nos motores, derrubando inclusive a aeronave. Então, quando qualquer aeronave estiver passando pela praia, a população deve ficar atenta e recolher as pipas, porque geralmente o piloto e a equipe não conseguem enxergar a linha”, solicita a enfermeira.


Segurança no ar


De acordo com o major Dárbio Alvim, Supervisor do Samu Alagoas, o Samu Aeromédico fará parte da Operação Verão da Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP), ampliando os patrulhamentos de busca e salvamento em parte da região litorânea. A aeronave terá um ponto base na praia do Francês e no trevo da Barra Nova.


“Para trazer mais segurança aos banhistas, iremos aumentar o nosso tempo de patrulhamento aéreo, que já é conhecido da população durante os finais de semana e feriados, indo da Barra de São Miguel até a Barra de Santo Antônio. Em casos de necessidade, garantindo um atendimento praticamente imediato das vítimas e reduzindo o tempo-resposta da ocorrência”, afirma o supervisor, ao informar que, mesmo fazendo parte da Operação Verão, o Samu Aeromédico irá permanecer atendendo outros tipos de ocorrências. 

Deixe seu comentário

0 comentários