Prefeitura marechal
busque por título

Saúde

TNH1

19/05/2020 às 09:13

Semilockdown? Novo decreto vai ampliar isolamento para tentar derrubar curva da covid em AL

 

(Créditos de imagem: Reprodução)

Na próxima quarta-feira, 20, expira o prazo de validade do último decreto de emergência publicado pelo governo de Alagoas, com medidas que ampliaram o isolamento social no estado. Nesta segunda-feira, 18, em coletiva à imprensa, o governador Renan Filho (MDB) falou sobre as expectativas, enfatizou que irá ampliar as medidas, mas ainda não deu detalhes do que vai ser feito para conter o crescimento da curva de contaminação pelo coronavírus no estado. Nessa segunda-feira, passamos dos 4 mil casos da doença, segundo o boletim epidemiológico da Sesau.

“Alguns segmentos da sociedade médica têm recomendado medidas mais duras, e algumas inclusive o ‘lockdown’. Nós vamos verificar todos os detalhes, hoje e amanhã, terça feira, para na quarta-feira tomar a decisão. Todas as possibilidade estão abertas, entretanto, há uma certeza, é que precisamos tomar novas medidas para ampliar as medidas de isolamento. Esse é o caminho a ser seguido”, garantiu.

“Hoje nós temos o nível de isolamento entre os 10 do Brasil, e a ideia é chegar mais próximo dos estados que têm o maior nivel de isolamento. A gente precisa ampliar. Muita gente está adoecendo, muita gente precisando ser tratada em hospital”, disse.

Reabertura comércio – Nos bastidores, afirma-se que o governo ainda avalia se haverá ou não novos ramos do comércio com autorização para voltar a funcionar, como ocorreu no último decreto com concessionárias de veículos, papelarias e bancas de revista.

Renan Filho deixou claro que vai endurecer a vigilância, mas, apesar de entidades médicas sugerirem, nos bastidores, cogita-se que o temido “lockdown”, termo em inglês que, na prática, significa bloqueio total, não deve ser decretado oficialmente pelo governador. Considerando que o lockdown varia de formato, poderemos ter, em Alagoas, uma espécie de “semilockdown”, com medidas bastante duras para tentar fazer com que o alagoano respeite a quarentena, evitando mais casos e, o pior, mais mortes.

A gestão estadual teme o que aconteceu em outros estados, onde o lockdown foi oficializado e acabou sendo desrespeitado. Mas no vizinho estado de Pernambuco, o modelo foi adotado e pelo menos de início surtiu efeito, com adesão de 53% da população no primeiro dia.

Com isso, o governo fecha o cerco sem necessiariamente oficializar esse regime que pode soar como punição, e acabar acirrando os ânimos da população. Mesmo assim, o governador garantiu já ter um protocolo para um eventual lockdown.

Sociedade de infectologia recomendou lockdown na região metropolitana

Em documento divulgado pelo Blog do Ricardo Mota, no TNH1, a Sociedade Alagoana de Infectologia chega a recomendar o lockdown na região metropolitana de Maceió.

O pedido toma como base análises detalhadas da situação do estado, ocupação de leitos para a covid-19 entre outras informações técnicas.

O texto é, na verdade, uma resposta a uma consulta feita pela Defensoria Pública Estadual.

Mas afinal, o que é o lockdown?

Em um boletim epidemiológico publicado no dia 6 de abril, o Ministério da Saúde definiu o lockdown como o “nível mais alto de segurança e que pode ser necessário em situação de grave ameaça ao sistema de saúde”.

Mesmo que o lockdonw possa ter diferentes versões de acordo com o país e até o estado onde for implementado, basicamente compreende o fechamento de todas as atividades econômicas, com exceção das essenciais, proibição de aglomerações, mesmo as menores, em espaços públicos. També é feito o bloqueio de todas as entradas e saídas da região, as fronteiras, são restringidas por agentes de segurança e somente trabalhadores essenciais têm a permissão de entrar ou sair da área isolada. 

Deixe seu comentário

0 comentários